Diabetes no seu pet
Autor: Ozzy the Boss

Diabetes no seu pet

Diabetes em cachorros é uma predisposição genética para o diabetes mellitus que desempenha um papel maior do que a obesidade.

publicidade

Mesmo os cachorros que comem dietas saudáveis podem sofrer de diabetes.

Como diabetes em seres humanos, às vezes o corpo de um cachorro pára de produzir insulina suficiente ou as células do organismo são incapazes de usar a insulina que é produzida.

Quando uma ou outra circunstância ocorre, o resultado é o diabetes mellitus, que causa a sede excessiva e a micção e a fome extrema acompanhada pela perda de peso.

Para estabilizar os níveis de açúcar, a terapia de insulina é o tratamento no início e é geralmente exigido para a vida do cachorro.

Diabetes mellitus é uma doença que se manifesta como uma incapacidade do corpo do animal para usar carboidratos (açúcares) corretamente. Isto ocorre ou porque o pâncreas não fabrica quantidades suficientes do hormônio que o corpo requer para esta função (insulina) ou porque as células do corpo não reconhecem mais insulina corretamente.

A desvantagem desta aberração fundamental na utilização de carboidratos é que o básico da energia fornecendo nutrientes (açúcares) não são capazes de entrar nas células do corpo para "alimentá-los". Em vez disso, eles permanecem na corrente sanguínea enquanto o corpo literalmente morre de fome.

Por meio de lidar com este estado de fome, o corpo faz coisas como começar a quebrar certos tecidos, gorduras, por exemplo, e mobilizar o açúcar armazenado (glicose) no corpo para tentar gerar energia com a qual se alimentar.

Na ausência do insulin exigido para permitir que os açúcares ganhem a entrada às pilhas, estes esforços conduzem tipicamente a um estado metabólico perigoso chamado ketosi.

Além disso, quando tecidos sensíveis como o cérebro não recebem a quantidade necessária de energia, perturbação neurológica grave e morte pode seguir.

O diabetes mellitus é considerado uma doença multifatorial na origem, significando que uma variedade de fatores jogam em sua aquisição individual. Em gatos, a obesidade é considerada um fator de risco primário para diabetes.

Certos fármacos (tais como corticosteróides), bem como uma possível predisposição genética (em gatos birmaneses) também contribuem para o desenvolvimento da condição.

publicidade

...cachorros" href="../diabetes-mellitus-cachorros">Diabetes em cachorros é uma predisposição genética para o diabetes mellitus que desempenha um papel maior do que a obesidade ou a exposição a certas drogas.

Sintomas e identificação de Diabetes no seu pet

Outros sintomas podem incluir:

Os veterinários podem suspeitar de diabetes canina se algum sinal clínico suspeito, como o aumento da bebida e/ou urinar, foram observados em casa.

Depois de realizar um exame físico completo, seu veterinário pode recomendar alguns desses testes para ajudar a confirmar um diagnóstico:

Raças afetadas

As raças predispostas incluem o Schnauzer diminuto, Schnauzer padrão, caniche, Terrier australiano, Spitz, Bichon Frise, Samoieda, e Keeshond. Cães de qualquer raça, no entanto, pode adquirir diabetes.

Tratamento

A longo prazo, os cães com diabetes são frequentemente tratados por injeção de insulina para ajudar as células carentes do corpo a usar o açúcar de forma mais eficiente.

As mudanças dietéticas podem igualmente ajudar, temperando picos repentinos nos níveis do açúcar de sangue. Injecções de insulina, no entanto, são geralmente iniciadas no momento do diagnóstico e exigido a longo prazo para controlar a doença.

A curto prazo, alguns pacientes requerem hospitalização. Alguns podem até precisar de cuidados intensivos se a sua apresentação ser complicada por uma variedade de outros problemas secundário para o diabetes (este é um cenário comum).

Após o tratamento começar, análises periódicas de sangue e urina são geralmente recomendados. Isso ajuda a garantir que a dosagem de insulina é certo para o seu cão.

O peso do seu cão, apetite, beber e urinar, e atitude em casa pode fornecer informações úteis que ajuda a determinar se o seu diabetes está sendo bem gerido. Seu veterinário vai considerar todos esses fatores ao fazer recomendações para a gestão continuada.

Muitos cães vivem ativos, vidas felizes uma vez que seu diabetes é bem regulamentado. No entanto, a terapia de insulina e monitoramento regular em casa e por seu veterinário são necessários para o resto da vida do seu cão.

Prevenção do Diabetes no seu pet

Manter seu cão com um peso saudável pode ajudar a reduzir seu risco de desenvolver o diabetes.

No entanto, para os cães que são geneticamente predispostos, o seu risco para o desenvolvimento de doenças permanece mais elevado, mesmo se manter um peso saudável.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo "Diabetes no seu pet" e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de um Médico Veterinário.

publicidade

Descubra mais sobre o mundo dos pets

Milhares de artigos sobre saúde e cuidados do seu pet de estimação.

Saúde Veterinária e Qualidade de Vida para os Pets