Discoespondilite em cães
Autor: Ozzy the Boss

Discoespondilite em cães

Discoespondilite é a causa a mais comum da dor traseira em cães de meia idade e cães grandes.

publicidade

Discoespondilite é a causa a mais comum da dor traseira em cães de meia idade e cães grandes.

Discoespondilite ocorre como resultado de uma infecção das vértebras que envolve principalmente o espaço intervertebral e as extremidades adjacentes dos ossos vertebrais (as epífisas). As bactérias são os microrganismos mais típicos responsáveis pelo discoespondilite. Infecções fúngicas são possíveis, mas elas são considerados muito menos comum. As regiões cervicais, torácicas, toraco lombar, e lombosacral elevadas são geralmente as mais envolvidas quando o micróbio patogênico presumivelmente carregado de sangue aloja lá e semeia a infecção.

Embora menos frequentemente observado, o próprio corpo vertebral pode ser afetado principalmente pela infecção. Esta doença distinta é referida como o anquilosante ou a osteomielite vertebral para distingui-la do discoespondilite.

Embora a extensão que a predisposição para discoespondilite é herdada, é geralmente aceito que há um fator genético que influencia a sua incidência. A presença de um ou mais genes que podem resultar em uma imunossupressão que influencia o discoespondilite está sendo investigado atualmente.

O que é discoespondilite?

Discoespondilite é uma infecção do espaço do disco intervertebral. Pode ocorrer como resultado da propagação da infecção de outros lugares do corpo (ou seja, trato urinário, fluxo sanguíneo, próstata) ou...

publicidade

...de infecção local apenas no espaço do disco. É mais comumente causada por uma infecção bacteriana; Entretanto, o discoespondilite fungoso pode ocorrer. Ocorre mais freqüentemente em cães de raça grande machos de meia idade, como pastores alemães e rottweilers. Cães que não são castrados e desenvolver a infecção da próstata estão predispostos a discoespondilite. Discoespondilite também ocorre mais comumente em animais que são imunodeprimidos.

Sintomas e identificação

Os sinais clínicos da dor nas costas do discoespondilite, primeiramente podem variar altamente em sua intensidade e são frequentemente facilmente mal interpretados ou completamente não interpretado. Rigidez, claudicação, ou um lentidão são os sintomas mais óbvios, especialmente na fase mais precoce do discoespondilite.

Mais tarde, um prejuízo do sistema nervoso, também variável na forma como ele se torna conhecido, é tipicamente o caso. A fraqueza progressiva do membro traseiro e uma falta da coordenação são comuns. Mais raramente, um intervalo ou uma fístula de drenagem são associados com o discoespondilite. Neste caso, a infecção torna-se visível ao nível da pele adjacente ao espaço intervertebral afetado.

O diagnóstico é conseguido com base na história, sinais clínicos, o (mais velhos, machos de raça grande, em particular), e raios-X. Solicitar raios X da espinha a...

publicidade

...um radiologista veterinário certificado é especialmenre útil nestes casos. Culturas de sangue também são recomendadas, mas muitas vezes estes provarão inútil. É por essa razão que as culturas da coluna vertebral, efetuadas cirurgicamente, são consideradas o padrão-ouro para o diagnóstico efetivo, apesar de sua invasividade.

Raças afetadas

As raças mais comumente afetadas são o pastor alemão e o dogue alemão.

Tratamento

O tratamento tipicamente depende do tratamento antibiótico de longo prazo voltado para os microrganismos mais comuns (staph aureus) ou naqueles que foram positivamente cultivados. Em casos graves, a cirurgia para debridar a área e/ou aliviar a pressão sobre a medula espinhal (causada pela infecção e seus efeitos associados) é considerado o tratamento de escolha.

O alívio da dor é um aspecto importante do tratamento do discoespondilite que não pode ser ignorado; mais assim porque a maioria de casos do discoespondilite deixam uma faixa da osteoartrite dolorosa em sua vigília.

Prevenção

Não há nenhum meio conhecido de prevenção salvar um protocolo de melhoramento criterioso que tenta evitar o uso de animais que podem transportar o material genético predispor cães para esta doença. Para melhores resultados, os parentes de primeiro grau (pais, irmãos e descendentes) devem ser removidos do grupo de reprodução.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo "Discoespondilite em cães" e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de um Médico Veterinário.

publicidade
Pesquisa mais sobre a Saúde e Comportamento dos Pets e Animais de Estimação.

Descubra mais sobre o mundo dos pets

Milhares de artigos sobre saúde e cuidados do seu pet de estimação.

Saúde Veterinária e Qualidade de Vida para os Pets