Discondroplasia em cães
Autor: Ozzy the Boss

Discondroplasia em cães

A discondroplasia é considerada um distúrbio articular multifatorial mais comumente observado nas articulações do ombro e do cotovelo em cães de raça grande a gigante.

publicidade

O que é discondroplasia?

A discondroplasia é considerada um distúrbio articular multifatorial mais comumente observado nas articulações do ombro e do cotovelo em cães de raça grande a gigante. Isto porque acredita-se que estas raças maiores tendem a crescer a um ritmo mais rápido, predispondo-as a este distúrbio degenerativo.

A discondroplasia é mais comumente observada em raças de cães como Labradores, Grandes Dinamarqueses, Basset Hounds, Poodles, Scottish Terriers e Malamutes do Alasca.

A discondroplasia em cães (também conhecida como osteocondrose) é uma doença da cartilagem e dos ossos. Mais comum em torno das articulações, a cartilagem de formação nova em cães jovens não é adequadamente ossificada em osso, resultando em cartilagem retida que pode eventualmente, levar ao colapso articular. Em alguns casos, um retalho pode se formar como resultado do espessamento anormal da cartilagem; esse retalho pode se romper e ficar preso entre a cápsula articular, resultando em claudicação e dor severas.

Sintomas de discondroplasia em cães

Devido ao seu efeito gradual sobre as articulações, os sintomas comuns incluem:

  • Laminite na perna afetada
  • Atrofia muscular devido a falta de irrigação sanguínea
  • Osteoartrite secundária
  • Provável incapacidade de flexionar ou estender a articulação
  • Dor e inflamação ao redor das articulações.
  • Incapacidade de escalar, pular, correr
  • Mancar e incapaz de suportar peso na articulação afetada
  • Rigidez na articulação afetada
  • O cão pode ser incapaz de exercer 
  • Dificuldade de ficar sentado ou em pé
  • Letargia

Tipos

  • Discondroplasia do Ombro
  • Discondroplasia do Cotovelo
  • Restrição de Discondroplasia
  • Discondroplasia da articulação entre os ossos do tarso e a tíbia

Causas da discondroplasia em cães

Existem múltiplos fatores que podem predispor um cão à...

publicidade

...discondroplasia. Algumas delas incluem:

  • Linhagem de raça e genética (hereditariedade)
  • Idade (mais comum em raças grandes entre 6 a 9 meses de idade)
  • Crescimento rápido durante a fase de filhotes
  • Trauma
  • Desequilíbrio hormonal
  • Nutrição inadequada
  • Sexo (geralmente esta doença é mais comum em machos que fêmeas)

Esses fatores resultam em cartilagem não completamente ossificante, o que pode levar à formação de cartilagem dividida em fragmentos. Esses fragmentos denominados “ratos articulares” repousam na cápsula articular e no espaço e, portanto, podem levar à inflamação e dor do osso e da articulação. 

Diagnóstico da discondroplasia em cães

Os veterinários primeiro farão um exame clínico dos movimentos articulares do cão, vistos como flexão e extensão, estrutura, postura e postura.

Ao exame físico, pode ser notada atrofia muscular e / ou inflamação da articulação. Isso resultará em seu veterinário recomendar raios-x e tomografia computadorizada para localizar as lesões e sua gravidade.

Radiografias podem ser feitas em ambas as pernas, mesmo que apenas uma perna apresente sinais de claudicação, porque a discondroplasia também pode ser vista do outro lado, mas pode não ser tão grave.

Outra técnica de diagnóstico menos usada é colocar uma câmera na articulação; isso é muitas vezes referido como um exame artroscópico.

Tratamento da discondroplasia em cães

A cirurgia é o método atual de tratamento para discondroplasia. Para a discondroplasia do cotovelo existem 3 tipos de procedimentos cirúrgicos realizados; o primeiro é a remoção de fragmentos de cartilagem que podem estar presos dentro da articulação.

Um segundo procedimento, chamado de incongruência, envolve a reformulação e o reposicionamento da articulação do...

publicidade

...cotovelo para diminuir a pressão sobre o osso.

Em terceiro lugar é um procedimento de salvamento que é raro, mas geralmente envolve um TER (substituição total do cotovelo). A cirurgia tende a ser usada para casos mais graves ou difíceis; entretanto, a artroscopia é outro procedimento minimamente invasivo que pode ser usado para tratar a discondroplasia.

Recuperação da discondroplasia em cães

Dependendo do tempo de recuperação da articulação e severidade afetada, pode ser variável. Cães com leve discondroplasia do ombro tendem a se recuperar rapidamente e são capazes de voltar às rotinas regulares de exercícios.

No entanto, a atividade física intensiva pode levar a claudicação ocasional. A discondroplasia da articulação do cotovelo envolve muito mais manejo do estilo de vida do cão, controlando a rotina e o peso do exercício.

Os veterinários podem sugerir que, após a recuperação, os proprietários devem considerar restringir a dieta de seus animais, evitando, assim, ganho de peso desnecessário, o que pode causar pressão indesejada na articulação. Alguns veterinários podem recomendar outras formas de terapia, como hidroterapia ou natação após 6 semanas pós-operatório.

Especulou-se que os proprietários devem considerar a redução da ingestão de energia e cálcio na dieta do cão, pois estudos sugerem que isso pode diminuir as chances do cão desenvolver novas doenças ortopédicas.

No pós-operatório e na recuperação, a maioria dos cães consegue ter uma vida relativamente normal, mas pode desenvolver rigidez e claudicação ocasional nas articulações à medida que envelhecem. E assim, o exercício não deve exceder os requisitos mínimos.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo "Discondroplasia em cães" e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de um Médico Veterinário.

publicidade
Pesquisa mais sobre a Saúde e Comportamento dos Pets e Animais de Estimação.

Descubra mais sobre o mundo dos pets

Milhares de artigos sobre saúde e cuidados do seu pet de estimação.

Saúde Veterinária e Qualidade de Vida para os Pets