Por que os cães atacam crianças?

As estatísticas mostram que uma porcentagem muito alta de ataques de cães está envolvendo crianças, aproximadamente 80% do total de casos. Não negligencie essa situação, pois há uma razão para isso.

Discutiremos as principais razões pelas quais os cães se tornam agressivos em relação às crianças, como podemos evitar ataques e outros detalhes importantes que devemos ter em mente. Continue lendo para descobrir porque os cães atacam crianças.

Erros de comunicação

Como regra geral, os adultos devem sempre monitorar a interação entre crianças e cães. Caso contrário, há uma alta probabilidade de que a má comunicação termine com uma mordida, o que pode ser muito grave, dependendo do tamanho do cão.

As pessoas tendem a confiar muito nos cães se nunca demonstraram sinais de agressão. No entanto, os cães falam em uma linguagem corporal específica que até os adultos podem não saber interpretar. Então, o que acontece com as crianças?

As crianças ainda estão experimentando habilidades cognitivas (como percepção, atenção ou memória), que não se desenvolveram completamente até cerca dos seis anos de idade, tornando-as especialmente vulneráveis ​​a mal-entendidos.

Antes de um ataque, o cão nos envia uma série de sinais de alerta (sinais calmantes), como mostrar os dentes ou rosnar. Tudo isso nos diz...

... que o cão se sente desconfortável o suficiente para atacar. Esses sinais físicos são óbvios para nós, mas não para as crianças, que acreditam que isso é um jogo.

Comportamentos negativos em crianças para cães:

  • Encarar
  • Atacar o cachorro
  • Puxar a cauda deles
  • Puxar suas orelhas
  • Incomodar eles (não os deixando só)
  • Não deixar que eles descansem
  • Gritar
  • Abraçar firmemente
  • Colocar os dedos na boca ou nos ouvidos

Experiências desagradáveis

As crianças geralmente são muito invasivas, algo que nem todos os cães são capazes de entender e respeitar. Para eles, as crianças são "pequenos seres" que gritam e podem até se machucar. É quando uma associação negativa começa a acontecer.

Se além de a criança agir de forma invasiva, não devemos repreender o cão por rosnar (lembre-se de que eles estão tentando comunicar o desconforto da situação). Isso provoca aprendizado por associação, também conhecido como condicionamento clássico. O cão começa a associar a criança como algo desagradável e até mesmo como algo ruim, aumentando seus níveis de estresse e até mesmo fazendo com que fujam, e se isso não for possível, pode morder.

Como evitar que um cachorro ataque uma criança

Para evitar as situações acima, é essencial estar sempre presente na mesma sala quando a criança e o cão estão juntos. Não importa se temos plena confiança em...

... nosso cão de 10 anos de idade, às vezes um dedo no olho, problemas de idade (como artrose) ou um momento de hiperexcitação podem desencadear uma resposta inesperada. Não vamos permitir que nada aconteça monitorando as interações.

A partir de uma certa idade, podemos começar a explicar a uma criança que os cães podem morder e causar muitos danos. Ensinar a identificar as posturas de apaziguamento, como se afastar, virar a cabeça, lamber e girar todo o corpo. Ao educar nossos pequeninos, vamos tornar a convivência muito positiva. Nós também os ensinaremos a respeitar os brinquedos, comida ou sofá do cão, itens que o cão pode ser muito protetor.

O que fazer se um cachorro morde uma criança

Agressividade é um problema de comportamento muito sério, especialmente se for direcionado para crianças, caso em que se torna um problema de saúde pública. Devemos evitar completamente o contato entre o cão e a criança e a solução imediata será encontrar um lar temporário para o cão até que possamos consultar um especialista.

Manter um cão em casa que rosna ou ataca as crianças pode levar a agressões severas, por isso não é recomendado fazer qualquer tipo de terapia ou tratamento por conta própria, sem a supervisão do especialista.

Por que os cães atacam crianças?