Transtorno nervoso (Polineuropatias) que afeta vários nervos em cães
Autor: Ozzy the Boss

Transtorno nervoso (Polineuropatias) que afeta vários nervos em cães

Polineuropatia (Neuropatia Periférica) em cães é uma desordem nervosa que afeta vários nervos periféricos.

Neuropatia periférica (Polineuropatias) em cães

Polineuropatia é uma desordem nervosa que afeta vários nervos periféricos. Ao contrário do sistema nervoso central, que tem as vértebras da coluna vertebral, e o osso do crânio para protegê-lo, os nervos periféricos são mais expostos aos elementos que entram no corpo e entram em contato com o corpo, para que eles são mais suscetíveis a lesões físicas e danos tóxicos.

Eles estão espalhados por todo o corpo, e são responsáveis pelo movimento consciente, coordenado (somático), para respostas físicas automáticas (autônoma), e para o movimento do sistema digestivo (indigitado).

Mielina, o branco, material lipídico que atua como um casaco isolador (também chamado de bainha) para algumas fibras nervosas, pode ser perdido através de um processo chamado desmielinização, uma condição que faz com que a mielina se deteriore, resultando em sinais elétricos nos nervos sendo perdidos, e função de imparidade.

Ou, pode haver degeneração do axônio com desmielinização secundária. A degeneração do axônio ocorre quando as fibras nervosas reais se deterioram dentro da bainha de mielina.

Sintomas e tipos

Distúrbios nervosos, motor e sensorial (movimento automático):

  • Fraqueza ou paralisia em todas as quatro pernas
  • Reflexos fracos, ou falta de reflexos (respostas físicas automáticas)
  • Fraco para nenhum tônus muscular
  • Deterioração muscular (atrofia)
  • Tremores musculares, tremores

Distúrbios sensoriais do nervo (receptores do nervo da dor/prazer):

  • Desorientação espacial (incapacidade de julgar o espaço em torno de si mesmo)
  • Fraqueza à perda de consciência
  • Nenhuma deterioração muscular
  • Sem tremores musculares

Glândula tireóide sub-ativa:

  • Paralisia da caixa de voz
  • Paralisia da garganta/esôfago, afeta a capacidade de comer e beber
  • Paralisia facial
  • Tonturas, instabilidade

Disfuncional sistema nervoso autônomo (não controle consciente):

  • Nariz seco
  • Boca seca
  • Olhos secos- baixa produção de lágrimas
  • Ritmo lento do batimento cardíaco
  • Falta de um reflexo anal

Causas

  • Congênito/herdado

Disautonomia: funcionamento anormal do sistema nervoso autônomo, que causa a saída excessiva do fluido corporal, falta de reflexos e falta de coordenação

  • Doença imunológica
  • Doença...

    publicidade

    ...metabólica

Hipotireoidismo (glândula tireóide sub-ativa)

Um tumor no pâncreas, a glândula que produz insulina

  • Infecciosas

Neospora caninum parasita: afeta as patas traseiras, possivelmente com paralisia, deteriora os músculos (atrofia), prejudica o sistema imunológico; o parasita é transmitido através da carne animal infectada (isto é, o cão come o animal que tem o parasita em seu corpo), através do contato com fezes animais que tem o parasita nele, geralmente fezes de outro cão, ou o solo que ainda tem fezes infectadas residual nele; pode igualmente ser passada de um animal grávido a seu feto tornando-se através da placenta

Paralisia Coonhound (polyradiculoneuritis): afeta principalmente cães de caça que entraram em contato com guaxinins que carregam a infecção; afeta as quatro pernas, e os músculos que controlam latido e a respiração

  • Medicamentos para o câncer
  • Toxinas

Tálio- usado em veneno de roedores

Organofosforados- usado em fertilizantes e pesticidas

Tetracloreto de carbono- usado em inseticidas

Lindano- usado para matar ervas daninhas, insetos, e piolhos

Diagnóstico

Seu veterinário irá realizar um exame físico completo em seu cão, levando em conta a história de fundo dos sintomas e possíveis incidentes que podem ter precipitado esta condição. Um perfil de sangue químico, uma contagem completa de sangue, um painel de eletrólitos, e um exame de urina será usado para confirmar, ou para excluir quaisquer doenças subjacentes. Seu veterinário também pode optar por realizar exames de sangue adicionais, e uma punção lombar, para procurar distúrbios específicos.

O  raio x de tórax e o raio x abdominal podem ser cruciais para diagnosticar Polineuropatias periférica visível.

O raio x e a imagem do ultra-som podem ajudar a descartar (ou confirmar) o câncer, mas a ferramenta diagnóstica a mais importante para identificar neuropatias periférica é eletrofisiologia, mede o fluxo elétrico dos tecidos e dos nervos do corpo.

Uma análise da amostra...

publicidade

...do tecido (biópsia) dos músculos ou dos nervos periféricos pode fornecer mais informações sobre o processo de doença que seu cão está enfrentando.

Tratamento

Os animais podem geralmente ser tratados em uma base ambulatorial.

No entanto, os cães com polyradiculoneuropathies aguda podem ter inflamação nas raízes dos nervos da medula espinhal, e estão em risco de insuficiência respiratória.

Devem ser hospitalizados para a observação na fase adiantada da doença para impedir esta condição.

Os cães com disautonomia devem ser hospitalizados para receber a terapia fluida e/ou a alimentação administrada (parenteral).

Os cães com hyperchylomicronemia, inversamente, podem recuperar-se espontaneamente após dois a três meses de ser alimentado com uma dieta com baixa gordura.

Os cães que foram diagnosticados com diabetes mellitus devem ter sua glicose de sangue e dieta monitorados.

Um excelente tratamento relacionado para pacientes com Polineuropatias periférica é a fisioterapia, para incentivar a restauração da musculatura afetada e da memória nervosa.

Vida e gestão

É importante compreender que a causa de muitas Polineuropatias nunca pode ser determinada, e o tratamento da causa preliminar da polineuropatia não pode curar seu cão. Em alguns casos, os nervos periféricos continuarão a deteriorar-se, e a doença do seu cão pode se agravar.

Os cães que foram diagnosticados com formas congênitas ou herdadas de Polineuropatias não devem ser criados.

Geralmente, é aconselhável neutralizar um animal que esteja sofrendo desta circunstância para impedir a reprodução acidental. Por exemplo, os cães fêmeas que foram contaminados com o parasita de Neospora não devem ser produzidos, desde que uma das maneiras que é feita a transmissão do parasita é espalhar no feto através da placenta.

Os cães que desenvolveram paralisia Coonhound (polyradiculoneuritis) vão ter que ser protegidos contra a exposição repetida aos guaxinins, uma vez que a infecção inicial não transmite a imunidade tardia dele.

Aviso Saudável
Os conteúdo do artigo "Transtorno nervoso que afeta vários nervos em cães" e demais informações divulgadas não devem substituir a orientação ou o diagnóstico de um Médico Veterinário.

publicidade
Pesquisa mais sobre a Saúde e Comportamento dos Pets e Animais de Estimação.

Descubra mais sobre o mundo dos pets

Milhares de artigos sobre saúde e cuidados do seu pet de estimação.